DISTRITO DE CACOAL, RO, ESTÁ HÁ SETE MESES SEM AMBULÂNCIA

Há sete meses o único posto de saúde no distrito de Riozinho, em Cacoal (RO), está sem ambulância. O transporte dos pacientes mais graves era feito por uma viatura que atendia a comunidade. O carro sofreu perca total em outubro de 2012, após o motor pegar fogo durante o transporte de um paciente até Cacoal. O distrito, distante cerca de dez quilômetros de Cacoal, tem cerca de 4,4 mil habitantes.

O lavrador Fernando Alves, de 49 anos, conta que duas pessoas morreram na comunidade por causa da demora no transporte para uma unidade de saúde. Para o lavrador, casos como estes poderiam ser evitados. “Se formos esperar uma ambulância de Cacoal, capaz de morrermos aqui. Então os que possuem carros vão com veículo próprio e os que não têm usam taxis”, conta.

Segundo Maria de Fátima Miranda Ruiz, gerente da Unidade Básica de Saúde São Judas Tadeu, que atende a população do distrito, quando um paciente chega na unidade é feito uma triagem. Casos mais sérios são encaminhados para o Pronto-Socorro Unidade Mista, em Cacoal, e por esse motivo é imprescindível a estadia de uma ambulância no posto. “É distante. Esse tempo de Cacoal até aqui pode custar uma vida”, argumenta. A UBS do Riozinho atende por mês cerca de 500 pacientes, segundo a gerente. A instituição de saúde conta com um médico clínico geral.

O administrador da subprefeitura do distrito Gilvan Ferreira Boni, diz que a comunidade está no aguardo da ambulância prometida pelo município. Há dois meses, segundo Boni, a viatura da polícia era utilizada para o deslocamento dos pacientes, mas com a viatura quebrada o distrito ficou desassistido.

De acordo com Marta Calixto, gestora do fundo municipal de saúde, as três ambulâncias de que o município dispõe não são suficientes para atender a demanda das duas localidades. “Não temos condições agora de disponibilizar uma ambulância somente para o Riozinho, mas colocamos as que estão em Cacoal à disposição”, argumenta.

Segundo Marta, não há data prevista para que outra ambulância seja cedida para o distrito.

 

 

FONTE: G1